Archive

Archive for the ‘Tirinhas’ Category

Pessoas são estranhas…

Por mais que você se esforce, não… ela não vai entender.

(Segue tirinha que dispensa textão.)

(Não, não parece)

“From the reciting of the show, from the Plip and the Shevanel, from the grind that annoys, and the sarcasm they all hate”

Igualar para dominar, dividir para… ?

Então, é carnaval… mas esse post não vai tratar disso, tem muitas outras aleatóriedades que estão mais bem posicionadas na minha lista de assuntos a discutir, hoje venho tratar de uma coisa mais séria: venho falar da fraqueza que às vezes nos atinge devido ao sentimento de coletividade, e de como, por vezes nos deixamos dominar por falta do mesmo.

Vamos por partes, falar primeiro da parte de dominação, essa se dá justamente quando se aproveitam do nosso sentimento de coletividade para, de forma falsa, reconhecer nosso “poder” e dominar, dar um pedaço de carne para que os cães, num momento de fúria destruam e esqueçam de todo o resto, e continuem sem lembrar de todo o resto depois que o “fogo abaixa”.

É uma técnica eficiente, simples e que consegue fazer seu efeito com esforço mínimo dos agentes, é uma das formas mais empregadas de manter as grandes massas sob controle. sob a tutela do grande irmão.

Claro que é estúpido acreditar que a coletividade é sempre negativa, todos sabemos quase instintivamente que em grupo temos mais força, mas eu acredito que é necessário também estar consciente do quadro geral da sociedade ao se integrar a um grupo e não se deixar a arrebanhar.

Agora para o próximo ponto de interesse, vamos tentar entender como funciona o método de dominação que se aproveita de nosso sentimentos pessoais para facilitar o controle da população, grupo por grupo.

Esse método é frequentemente utilizado em campanhas políticas onde se tenta dividir as pessoas em grupos e fazer com que um dos (ou alguns desses) grupos simpatizem com suas ideias afim de conseguir algo: um cargo, apoios para alguma decisão ou até mesmo poder coercitivo. Um exemplo clássico desse método de dívisao e dominio foi visto nas eleições de 2004 nos EUA o qual eu trouxe ilustrado abaixo (com parte dos temas adultos e dos palavrões convenientemente atenuados):
(clicar para ver em tamanho real, a versão reduzida talvez dificulte a leitura)

Enfim pessoal, acho que é essa a mensagem que eu queria deixar pra vocês hoje: façam o que fizerem, mas estejam conscientes do que se passa.

“Blindfolds aside I’d probably still close my eyes / And try to feel a trembling fetal life inside that shotgun barrel that’s about to make me bleed”

Acerca da anonimidade, da internet e tantas outras coisas.

janeiro 23, 2011 Deixe um comentário

Então, como prometido aqui estou eu no fim da semana escrevendo algo mais elaborado pra complementar a ideia do último post onde comecei a falar sobre a anonimidade das pessoas na internet.

A tirinha incluida no ultimo escrito ilustra bem o uso que maior parte das pessoas (certo, jogando CS e afins eu me incluo) faz dessa sua anonimidade; concordemos que sem ser identificado é muito mais fácil bancar o sujeito antipático e agressivo que cria problema por tudo e com todos.

Pelo menos pra mim, é na verdadde bem assustador imaginar que atrás de cada “pessoa” dessas que encontramos na internet em chats, jogos, blogs ou sites de notícias é uma pessoa real, com problemas e, argh, sentimentos.  É estranho pensar no numero de pessoas com que interagimos diariamente sem sequer percebermos que elas são, de fato, pessoas.

Mas será que elas são, de fato, as pessoas que existem na vida “real”? Ou será que Bob do posto de gasolina quando chega em casa e liga seu computador abandona de vez sua natureza Bóbica pra se tornar algo além, ser alguém que não precisa ouvir calado o que o chefe, o professor, o pai, o tio ou o valentão da rua tem a falar; nesse plano de existência Bob sabe que a dedicação dele (seja a um personagem, à qualidade de um artigo ou ao seu nível de habilidade em determinada coisa) determina seu valor frente aos outros….

Ou pode ser que Bob tenha uma vida tão miserável que a única coisa que ele tem pra dar aos outros quando de igual pra igual é justamente o que ele recebe, por isso ele chega em casa e resolve ser mais um Troll por ai, aposto como isso acontece com muita gente.

Então pessoal, vamos ter menos raiva da próxima vez que nos depararmos com um Troll, com um pouco de razão dá até pra transformar parte da raiva em piedade…
…mas ainda tem alguns que merecem o seguinte destino.


“Why does it feel like night today?
Something in here is not right today”

A anonimidade e quem somos nós.

janeiro 20, 2011 Deixe um comentário

Esses dias tava lembrando de uma novidade da blizzard que iria mostrar nossas identidades secretas nos seus forums ao invés de um nome de personagem, traz a tona uma questão interessante… será que o assassino “Deadkiller” quer realmente ser o frentista de posto de gasolina “Bob” quando ele está em casa? Prometo algo mais elaborado até o fim da semana, mas por hora… vamos dar risada.

“Walked past my grave in the dark tonight/
Saw the stone and the note you left for me”

“Love it so much…”

dezembro 12, 2010 1 comentário

Primeiro, gostaria de pedir desculpa por usar um título totalmente em inglês nesse blog que é brasileiro por excelência, mas é inevitável quando vou abordar esse assunto que é, de certa forma, estrangeiro, a compra de um PS3 (ou qualquer artigo de lazer eletrônico, por indução.)

Pode-se ver pelo clima do ultimo post que está nas inteções de nosso ilustre Yan adquirir um Playstation 3, esse que ainda é um acontecimento meio que raro no cotidiano do brasileiro padrão (por inúmeras razões que não cabem nesse post) trouxe a minha mente, instatâneamente uma antiga tirinha dos mestres do Penny Arcade, e é essa que vos trago… comodamente traduzida por mim (desculpem-me pelo fail no balão maior do terceiro quadro D:)

Pode parecer cômico (e é!) mas o fato é que acontece coisa parecida na vida real também, acho que é uma das pouquissimas em que até eu tenho que admitir que a pessoa está “exagerando na dose”, rezemos para que o Yan não termine assim e para que, principalmente, seu irmão mais novo consiga resistir.

“One thoughtless moment passes in slow motion/As I lie down I realise that/All I wish is to get rid of this obsessive devotion.”

Jogos e violência.

setembro 15, 2010 Deixe um comentário

Oi pessoal!

Então, recentemente (mentira, faz um tempão) traduzi uma tirinha que fala sobre a perseguição aos jogos devido à sua comum associação com violência, acho ela divertida e legal o bastante para ser postada aqui, mas infelizemente não tenho a bagagem necessária pra fazer um post sério e completo sobre o assunto, quem sabe após um pouco de pesquisa eu edito aqui com um post full.

… ou vai ver o Yan faz. 😀

Enjoy!

Retirado de Penny Arcade

“Will you still wait for me/Will you still cry for me/Come and take my hand”

Se a vida te der limões…

Olá, então depois de muito tempo ausente resolví reclamar aqui sobre a forma como a maioria das pessoas adota uma postura extremamente conformista no dia-a-dia, basta você parar um segundo para reclamar de qualquer coisa desagradável que algum conhecido (e, de vez em quando, até mesmo desconhecidos) vem te dizer que “é assim mesmo” ou “que uma hora passa” ou que “você tem que se acostumar, faz parte.”… sério, se todo mundo pensasse assim desde sempre não teriamos muitas das coisas que temos hoje; o que leva a crer que essa posição começou a ser difundida e adotada recentemente, será?

Bem, a discussão a fundo fica pra outra hora, outro dia. Por hora, vamos dar risada com uma perola de 2003 do Penny Arcade (traduzida por mim, favor apontar possíveis problemas de grafia ou tipografia por meio de comentários) que condiz com o tema.

Pra quem não conhece: Penny Arcade (em Inglês)

“It’s raining, It’s raining, It’s ra—ining.”

Categorias:RAGE, Randomness, RL, Tirinhas Tags:, ,
%d blogueiros gostam disto: